Topo
notícias Notícias
14/03/2016

Metalúrgicos exigem: fora todos eles e Eleições Diretas Já!

Compartilhe isto:

 

Atnágoras Lopes fala aos representantes durante assembleia

Atnágoras Lopes fala aos representantes durante assembleia / www.sindmetalsjc.org.br

Fonte: http://www.sindmetalsjc.org.br/imprensa/ultimas-noticias/2922/metalurgicos+exigem+fora+todos+eles+e+eleicoes+diretas+ja.htm

Também foi decidida a participação nos atos de 1º de abril e 1º de maio organizados pela CSP-Conlutas.

Em sua primeira reunião em 2016, o Conselho de Representantes deixou claro que o PT e a oposição de direita não representam os trabalhadores. Foi aprovada, com ampla maioria, que o Sindicato inicie a campanha exigindo a saída de todos os parlamentares e a organização de novas eleições gerais para presidente, deputados e senadores.

Também foi decidida a participação dos metalúrgicos nos protestos que serão organizados pela CSP-Conlutas nos dias 1º de abril e 1º de maio. O objetivo é criar uma alternativa de luta que realmente atenda aos interesses da classe trabalhadora.

Com a participação de cerca de 100 ativistas, de 31 fábricas da região, o encontro ocorreu na sede do Sindicato, no sábado (12), e reuniu diretores, cipeiros, delegados sindicais e membros das comissões de fábrica. Em discussão, estava os desafios que os metalúrgicos irão enfrentar tendo em vista o atual cenário de crise política e econômica que assola o país.

Atnágoras Lopes, da Executiva Nacional da CSP-Conlutas, iniciou o debate atentando-se para a gravidade da crise e como ela afeta os trabalhadores. Segundo ele, mesmo com o aumento do desemprego, da inflação e os constantes ataques aos direitos trabalhistas, o comportamento do operariado é de enfrentamento aos patrões.

Citando a greve dos petroleiros no Rio de Janeiro, a ocupação da Mabe pelos metalúrgicos em Campinas e Hortolândia, e a greve vitoriosa pela reintegração dos terceirizados na Chery, em Jacareí, Atnágoras reiterou a necessidade da construção de uma alternativa para os trabalhadores.

“Os trabalhadores estão mostrando sua revolta com os inúmeros escândalos de corrupção e a falta de perspectiva os deixam suscetíveis a cair em ilusões”, afirmou Atnágoras referindo-se a atitude do PMDB e PSDB, que se apresentam ao povo como solução frente à crise e ao governo do PT.

“Todos esses partidos estão juntos, quando se trata de atacar o trabalhador. É por isso que temos de deixar claro que as manifestações do dia 13, 18 e 31 de março não nos representam”.

“Precisamos todos ir às ruas no dia 1º de abril e 1º de maio, rumo à Greve Geral. É necessário construir nas lutas uma alternativa que atenda realmente os interesses dos trabalhadores”, Concluiu Atnágoras.

Lutas da categoria

Após o debate, foi a vez dos representantes apresentarem as principais demandas da categoria. Entre os assuntos discutidos, destaca-se a crescente perseguição enfrentada pelos cipeiros nas fábricas da região.

Desde o ano passado, ao menos seis empresas (Armco, Eaton, Trintec e Intertrim, Heatcraft e Ericson) suspenderam os membros da Cipa que têm o apoio do Sindicato. Frente a este cenário, foi aprovada uma campanha em defesa dos cipeiros e do direito à organização de base.

Também foi aprovada uma campanha em solidariedade aos trabalhadores perseguidos na Trimtec e Intertrim, de Caçapava. A iniciativa irá levantar fundos para os companheiros que foram suspensos pelas empresas do Grupo Antolin.

Reforçando a importância da participação da base nos rumos do Sindicato, também foi votado que os diretores deverão estar sempre presentes nas fábricas que atuam. “Essa é a prova da nossa luta contra a burocratização. No nosso Sindicato, diretor bate cartão e está sempre ao lado do trabalhador”, afirmou o presidente do Sindicato Antonio Ferreira de Barros, o Macapá.

A luta contra as demissões e a realização de uma forte campanha de PLR foram aprovadas pelos representantes na assembleia.

Internacionalismo
O vice-presidente do Sindicato, Herbert Claros, também relatou sua viagem a Palestina, explicando aos presentes a importância do apoio luta dos trabalhadores ao redor do mundo.

Ele também denunciou as opressões cometidas pelo exército de Israel aos cidadãos palestinos e reiterou a importância do apoio ao projeto da organização BDS, que reivindica o boicote às empresas israelenses.

Mulheres
O Informe da Secretaria de Mulheres foi realizado pela diretora Aline Bernando dos Santos que convidou todas as companheiras a participar das próximas atividades que irão comemorar o Dia Internacional das Mulheres.

No próximo dia 19, o Sindicato organiza em sua sede palestras e debates sobre os desafios enfrentados pela mulher negra no mercado de trabalho e a questão do zika vírus e a legalização do aborto. No mesmo dia, as mulheres do coletivo Abayome realizarão oficinas de valorização da beleza afro.

Democracia operária

Na avaliação do presidente do Sindicato, Antônio Ferreira de Barros, o Macapá, o Conselho de Representantes foi extremamente positivo, consolidando-se como uma das mais importantes esferas de decisão da categoria.

“Realizamos uma Conselho de Representantes vivo e democrático, como já é tradição em nossa entidade. O momento agora é de união entre os diretores, delegados, cipeiros e demais representantes para enfrentarmos os desafios que virão neste ano. É hora de defendermos os empregos e direitos”, concluiu Macapá.

rodapé